sábado, 12 de dezembro de 2009

- não há rótulo.

- eu procurava por sentimentos, é verdade, mas no meio de tantas pessoas tudo ficava confuso, meio perdido por entre os ventos, meio embaralhado diante de todos os olhares. Talvez eu devesse parar e escolher alguém ou um único sentimento, mas isso parecia tão egoísta, tão centrado. Queria mesmo era espalhar-me pelo mundo, brincar entre as várias cores, conhecer cada pequeno detalhe, das variadas formas que me fossem apresentados, sabe? Talvez seja querer demais, mas prefiro assim, o de menos sempre me pareceu tão descolorido e sem sabor. Quero é botar a boca no mundo e degustar o que conseguir. Posso parecer idiota por pensar assim, mas não me importo, é como sou agora e não quero mudar, não por enquanto. Não me julgue antes de tentar alguma coisa do tipo, sinta as diferentes formas e os variados sentidos e me diga o que conseguiu descobrir. Por puro interesse meu, me diga. Quero deixar claro que não faço regras, que não escolho mundos, que não vejo revolução. Quero deixar claro também que sigo o que me é dado. E mais uma coisa, que sigo em busca do meu bem, e que por isso, me abro pra todas as opções que de alguma forma possam me fazer bem. Apenas siga e me diga, é o que peço.

1 comentários:

Maria Luísa disse...

lindo o texto *-*
e eu amei o visual novo do blog =]