quinta-feira, 3 de setembro de 2009

- apenas mais uma do passado.

- como se a vida se resumisse em lágrimas. As gotas caíam lentamente, quietinhas, unidas. Os motivos eram muitos, mas poucos importavam. Sempre tem aquele que é maior e machuca mais e que fica calado a maior parte do tempo. E nesse caso não era diferente e nem teria como ser. A dor aumentava e era terrível por não achar uma cura, por não achar um caminho em que seguir pra se desviar, sabe? Talvez mudar de caminho não fosse solução mas resolver parecia impossível e pra ele era. Fico pensando em como seria ele sorrindo de novo, em como seria não viver uma felicidade disfarçada como tem feito por muito tempo. Confesso que ele nunca foi o mais lindo entre os homens mas ele queria amar e isso é o que o preenchia, sabe? Ah, o amor! Tão desejado e tão longe da realidade, não é? Talvez.
Viver um amor por alguém que está longe e que faz bem é tão terrível que o feria cuidadosamente por cada segundo em que pensava no que seria se os dois estivessem juntos. E as perguntas surgiam de todos os lugares, encarcerando-o por não ter tido coragem quando teve oportunidade de ver se era realmente o que queria. Ah, como eu torcia pra que ele tivesse se arriscado, sabe? O risco não é pra todo mundo, mas era pra ele. E ainda é. Acredito que ainda haverá alguma coisa entre os dois. Ele também acredita e por isso vive. Por isso respira.

2 comentários:

mais um garoto malvado disse...

O mais genuíno de todos.

Jujuba disse...

Já disse que sua escrita me encanta? ^^

Amo a forma como escreve, amo sobre o que escreve. Parabéns, seu blog é um dos poucos que mesmo vindo raramente, faço questão de ler todos os posts.

Beijão! ~