domingo, 10 de maio de 2009

- talvez.

- em seu baú guardava todas as coisas importantes, todos os momentos que não queria esquecer, todas as fotos, os canudos, os ingressos, as estrelas, o vento, os sonhos, as folhas, a grama, o cheirinho da terra. Era como se quando aquilo fosse aberto, dia ou outro, pudesse reviver os momentos que fizeram bem pra ele e lembrasse que existe amor, que existe felicidade. Talvez hoje não fosse seu melhor momento mas deitava-se em sua cama, abria aquele baú e olhava tudo com muito carinho, com lágrimas nos olhos, com um meio sorriso nos cantos dos lábios. De fundo, colocava suas músicas preferidas, com tons melancólicos e deixava os pensamentos voarem entre as quatro paredes até acharem uma solução, até encontrarem o caminho da janela, que sempre aberta, deixava o vento entrar e levar consigo o tempo, dono de todas as resoluções. Talvez devesse esquecer, talvez devesse fechar os olhos e descansar, pois o amanhã nunca se sabe. Talvez ele estivesse dentro do seu quarto, talvez estivesse dentro do seu corpo, talvez estivesse dentro da sua vida.

2 comentários:

mais um garoto malvado disse...

resolução: terei um baú :D

júlia vita disse...

Muito bom seu blog, vou te seguir! Parabéns, um beijão!