terça-feira, 18 de agosto de 2009

- o que ainda preciso.

- tento me manter calado, mas o coração fala por mim e bate acelerada e ininterruptamente quando meus pensamentos ligam-se em você. Não é porque quero, é porque acontece. Assim mesmo, simples, rápido, sem ordem, sem eu ter o poder de dizer pra parar. Não é o que quero, nem nunca foi. Já fingi, já tentei, mas sempre me calei diante do que sinto. Não ouso calar a voz de dentro, calo apenas a minha boca pra não me arriscar. Risco talvez que devo eu correr, mas tenho medo. Um medo que você deve ter sentido um dia e que me entende. Ou tenta. Estou parado no tempo, esperando sua mão pra me segurar e me dizer que agora é a hora e que não é apenas tentar, é conseguir. Deixar a liberdade fluir dentro do meu ser e viver o que quero. Sentir sem pensar e sem raciocinar. Escrever novas linhas na história, sem pensar em apagá-las um dia, mesmo que o fim não seja tão bom. Viver os segundos quando estou do seu lado, criar eternas memórias de tudo de bom que nos acontece. Fechar o dia com dois sorrisos unidos, abrir os olhos e ver que a felicidade está em mim e em você. Abrir a mente e me ligar na sua, calar-me e sentir que você sabe o que estou te dizendo.
- Dos que tive, o que ainda preciso sentir.

3 comentários:

Janaína Oliveira disse...

sei exatamente oq se passa com vc, mas te falo uma coisa tem q deixar o medo de lado logo, pq senão pode ser tarde demais. se o sentimento é reciproco, medo não merece ser levado em consideração.
'arrisque mais pra não se arrepender...'
se arrepender só do q não foi feito, pq do q ja foi, não vale a pena, pois foi vivido...
to torcendo aqui :)

Diana disse...

Que seja doce
Caio Fenando Abreu

Myÿ h disse...

Gostei :)