sábado, 21 de fevereiro de 2009

- dupla.

- era santa, era boba, era nada além de alguém que não se notava, apenas vivia. E cansou. Mudou cabelo, pintava olhos e boca, vestia-se com pouco tecido, andava com vontade de pecar e tornou-se o pecado. Ah, coitado dos homens [e das mulheres que partilhavam o mesmo desejo]! Sorria pra todos e achava muita graça naquilo, seduzia sem esforços e continuava caminhando até o sol nascer e iluminar o céu. Mas o encanto acabava quando a luz batia em seu corpo. Voltava a ser santa, boba, dona de casa. Esquecia-se dos homens, do sexo, dos olhos que a secavam e de todos os pecados que havia cometido. Era beata, era carola, era uma desgraçada que se escondia atrás dos panos.

2 comentários:

Mais um garoto malvado disse...

"andava com vontade de pecar e tornou-se o pecado"
Que texto gostoso.
Conheço uma dessas =X

jumali disse...

Porque desgraças sempre se escondem atrás de panos, e quem define que panos serão esses somos nós.